3 de maio de 2016

“Escravos do mundo virtual”

Os smartphones estão acabando com o diálogo presencial.  A conversa cara a cara, onde as pessoas olhavam nos olhos umas das outras ao falarem praticamente não existe mais, especialmente em se tratando dos jovens; todavia, eles não deixaram de se comunicar, fazem isso várias vezes durante o dia, principalmente quando estão distantes uns dos outros.  Quando voltam a estar juntos o olhar e os ouvidos são para o aparelho celular, os participantes da conversa passam, novamente, a ser os que estão virtuais.


Nos últimos tempos a imprensa tem divulgado os novos hábitos de muita gente famosa e até de empresários que decidiram “voltar no tempo”; adquirindo aparelhos “retrô” para deixar de ser “escravos” do mundo virtual.  Segundo eles o tempo que passam diante de um computador, online, durante o expediente, já é o bastante.  Querem voltar a ter controle da própria vida – estar sempre “logado”, pendente das mensagens de redes sociais e noticiários é demasiado extressante, além disso provoca ansiedade e causa angústia.


Um exemplo disso que acabamos de relatar é o bloqueio do WhatsApp por 72 horas, realizado por um Juiz brasileiro. O desespero toma conta do povo – são tantas as reclamações que, imediatamente, a empresa tenta reverter, por meio de recurso, o referido bloqueio.

Felizmente, para as empresas de telefonia, que a maioria da população já NÃO se vê sem um celular com conexão 3G ou 4G, no entanto, é exatamente na conexão que as operadoras deixam à desejar  pois, ainda hoje, existem cidades que nem a 3G é acessível.  Seguramente se a moda dos aparelhos antigões “pegasse” e eles vissem o faturamento cair agiriam para manter o interesse no consumo, baixando o preço dos pacotes com internet e até presenteando os clientes  fiéis com aparelhos ainda mais modernos.  Quem resistiria em seguir “viciado” nessa tecnologia se isso viesse a passar?

Por Elane F. Souza ADV e Autora deste Blog


Postar um comentário