29 de abril de 2016

SEÇÃO CRÔNICAS: Logomarcas

A logomarca é uma representação gráfico-visual do nome de uma empresa ou marca.  visa construir uma identidade, diferenciar tal empresa de suas concorrentes e gerar reconhecimento por parte do público e do mercado. As logomarcas são formadas por um símbolo (marca) e um logotipo (tipografias, ou letras) que devem atender aos objetivos da empresa e atrair a atenção de seu público-alvo.  Além dessa, sua outra função é dar sentido instantâneo à marca ou empresa em questão. Trata-se de fazer com que as pessoas saibam do que se está falando rapidamente, sem que seja necessário parar para pensar sobre o assunto. (por significadosbr.com).

Esse é o conceito mais completo que se encontra de LOGOMARCA. Como podemos notar trata-se de algo que chame a atenção da possível clientela da forma mais instantânea possível.


Foto por ego.globo (essa ganha para ostentar - por isso pode)

Veja alguns exemplos de como isso funciona: quem vê uma garrafa ou lata de coca-cola nem pensa – instantaneamente sabe que é daquela marca pelas cores e letras estilosas de seu nome; outra marca que distingue das demais é a camiseta pólo com desenho de um pequeno jacaré verde (Lacoste); sem falar na Adidas; Nike; Hering; Levi,s; Louis Vuitton; Citroen; Starguts; Aplle; Colcci; BMW; D&G; Peugeot; Mizuno; Arezzo; Osklen; Ramarim; Burberry; Cavallera; Iódice; Gucci; schutz; e centenas de outras que a população faz questão de ostentar.

O interessante é que ninguém ganha nada para mostrar que tem,que usa, muito pelo contrário, pagam valores absurdos para adquirí-los e se sentem o máximo expondo ao mundo, fazendo publicidade gratuita do produto; aliás, gratuita NÃO, o pagamento é feito por quem usa, quem expõe o produto!  Seria mais ou menos uma publicidade inversa!  PAGA-SE PARA USAR E AINDA ACHA QUE ESTÁ ABAFANDO!

A opinião que tenho é que estamos dando crédito demais a quem já tem suficiente!  Se a empresa é milionária pelos seus “belos” produtos ou pela qualidade, a clientela poderia até comprar mas CREIO que o nome e qualquer MARCA que pudesse identificá-la deveria vir “escondido”, invisível, NÃO exposto; a não ser que o cliente fizesse questão de se expôr como “garoto propaganda” gratuito da marca; era isso o correto – mas, por incrível que possa parecer, por mais culto que o povo seja (acredito que são – já que podem adquirir produtos a preços exorbitantes) eles gostam de fazer papel de “sem noção”!  -  Até quando "seremos"(serão) usados? 



Por Elane F. de Souza Advogada e Autora deste Blog (ao copiar, replicar e redistribuir – favor citar a fonte).
Postar um comentário