18 de abril de 2016

Ficção e realidade, tudo igual só que diferente!



Saber diferenciar a ficção da realidade não é só uma questão de inteligência é também bom senso!  

Ao nos questionarmos e criticarmos  o porquê de tanta violência, homossexualismo, homofobia,  estupros, roubos, sequestros, pedofilia  e muitos outros tipos penais  (e não penais - como o homossexualismo por exemplo) “dentro” da TV ou no cinema, primeiramente é melhor darmos  uma olhada em nossa volta e ver o que há. 

Em se tratando de alguns fatores a realidade chega a ultrapassar e muito a ficção, pois machuca, fere e mata de verdade  – já pensaram nisso?

Novelas não são uma paixão para mim, no entanto filmes e séries me encantam! Acompanho algumas da moda e até outras que já se findaram,  mas  que só consegui agora.  Quanto aos Filmes  tenho uma “coletânea  cerebral”  de centenas e mais centenas, em Português e Espanhol, que já vi.

Criticar o que é exposto em muitas dessas ficções é normal, é aceitável; todavia, imputar culpa aos meios de comunicação que as exibem, responsabilizando-os pelo que passa aqui fora, é por demais incongruente, despropositado.

Quem  tem uma TV em casa, certamente tem, também, o “controle” sobre ela.  E aqui quando falo em controle a ideia é mesmo fazer um trocadilho.  O objeto controle remoto e o controle (a autoridade) sobre o que se deve ou não assistir e permitir que crianças e adolescentes assistam.

A maioria das vezes quando escrevo  artigos ou notícias, baseando-me em fatos reais sobre violência, homossexualismo, estupro  ou intolerância religiosa,  tem sempre um e outro comentário que diz: “mas, e nas novelas, há muito mais pouca vergonha,  prostituição e estupros e ninguém fala nada”!   É aí que pergunto:  

 - Falar o que?   É ficção gente, só vê quem quer, quem não quer desliga o aparelho no horário ou muda de canal.  - Qual a dificuldade?

Esta semana(***), um dos artistas da Globo, que está, de momento, fazendo um papel na novela da 9hs – Babilônia, veio à público dizer que o Brasil não está preparado para uma novela desse tipo.  Como  já disse antes  não vejo novelas, no entanto não sou cega.  “Curto” informações de qualquer tipo – inclusive fofocas dos folhetins televisivos diários!  Quando tenho tempo – claro!

Dizem que o folhetim tem prostituição, homossexualidade, assassinatos  e, inclusive, corrupção nas licitações.  Quando cito isso até parece que estamos num país livre de quaisquer desses fatos e por isso nos horrorizamos tanto com a novela das nove ou das vinte e três (23hs – “verdades Secretas” e seu “Book rosa” )!

Quanta hipocrisia reclamar, criticar e se enojar.  - Pensa que estamos onde?  Na Suécia, na Dinamarca, na Finlândia?  Mesmo que estivéssemos, algumas dessas coisas que citamos no  parágrafo  anterior não conseguiríamos nos “safar”.  Homossexualidade e prostituição são naturais.  Não há como deixar de ver, exceto se você estiver num convento ou num cárcere perpétuo e que seja isolado.  Se colocarem outro ali ao teu lado, mais cedo ou mais tarde, alguma coisa pode “rolar”.  – Duvida?   Eu não!  Hipocrisia para que?


O ator de quem falei anteriormente é Thiago Martins que vive um Atleta na referida novela.

Em entrevista ao jornal "O Dia" (via MSN.com), Thiago Martins garantiu que o boicote que a novela vem sofrendo não está abalando o elenco. "Todo mundo se abraçou e falou: 'Vamos nessa juntos'", contou o artista. E continuou: "Sobre a reprovação, acho que nem todo mundo no Brasil está preparado para o que viu.  Acho que a gente meio que se esconde atrás de uns predicados pra não enxergar o que está na nossa frente".

Para Thiago, os problemas enfrentados pela novela agora são os mesmo já passados por "Torre de Babel" anteriormente, trama exibida em 1998 que também tinha um casal lésbico. "Daqui a alguns anos as pessoas vão olhar e ver que Babilônia, mesmo com pouca audiência, foi um marco", disse o ator, otimista.  Mas por enquanto Thiago não acredita que isso vá mudar: "O Brasil não está preparado para se olhar no espelho. 'Babilônia' realmente veio pra mostrar isso pra gente. A gente está vendo um Brasil de frente e não está preparado nesse momento para assistir", lamentou.

Na verdade, acredito que o Brasil é um país de hipócritas.  Ver não quer, mas fazer é facinho, facinho!   - Quantos cometem barbaridades só porque são fechados no trânsito? 

Corrupção em licitações aqui é tão comum que parece normal (já faz parte do costume). 

Quanto aos homossexuais, o que há de errado?   Neste país é o que há, inclusive, legalmente autorizados a constituir famílias e até adotar filhos (que bom!!!).  Qual o problema de vê-los também na TV se beijando, se amando?   Ou seria porque o casal é de mulheres idosas?  Se fosse duas “gatinhas” quiçá estaria tudo bem e até serviria de “motivação conjugal”.  Que o diga a série “Felizes para Sempre”, onde estava Maria Fernanda Cândido e Paola Oliveira (que “bombou”, ou estou enganada?).  Tem vários vídeos no YouTube em que estão apenas as cenas entre as duas.  Será porque?

E a prostituição?  Falar em prostituição e mostrá-la na TV – NOSSA!!!   Que coisa terrível, no Brasil não temos disso não gente – isso só se passa no Paquistão!  Só ironizando para manter o equilíbrio do texto e mostrar que o mundo não é um paraíso, além do mais você ainda não morreu, não foi para  o céu nem para o Éden!  Aguente firme e forte que a ficção é bem melhor que a realidade!

Por Purepeople

Prefiro  “ser prisioneira do meu lar”, onde posso assistir todo e qualquer tipo de violência, homossexualismo, corrupção e terror, do que ir para às ruas numa noite qualquer e enfrentar tudo isso e muito mais, na vida real!  

***(notícia de 2015: há + ou - 8 meses), 

Autoria: Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog)





Postar um comentário

NEWSLETTER - SUBSCREVA

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner