7 de março de 2016

Pela verdade sempre; doa a quem doer!

A Nação vive momentos difíceis.

Por um lado, um Presidente da Câmara, eleito por seus pares como sendo a melhor opção para dirigir a Casa que representa o povo brasileiro; ou seja, a Câmara dos Deputados, sendo, neste momento, processado por lavagem de dinheiro; corrupção; formação de quadrilha; evasão de divisas, etc; do outro, uma Presidente suspeita de mentir e acobertar corrupção na Petrobrás, além de estar se defendendo num processo de Impeachement  por “pedaladas fiscais” que poderá por fim a seu mandato.

Não menos importante, no centro de tudo está o povo que se digladia, tomando partido por um e outro político que está se lixando com tudo isso; a não ser no ponto em que lhes aperta – nesse momento buscam apenas uma forma de se livrarem das “roubadas” em que estão envolvidos!  A população é apenas uma detalhe chamado “voto”; no momento certo estarão aí, prontos para ser, novamente, manipulados!

E, falando em povo, quando não estão se digladiando por Lula/Dilma X (endeusamento do PSDB ou qualquer outra oposição ao governo), estão nas ruas ou redes sociais pedindo Golpe Militar ou eleição de J.Bolsonaro. 

Sinceramente o povo perdeu a noção!  Devem ter se esquecido de como é uma Ditadura Militar, sem falar que, pedir Bolsonaro para Presidente é quase gritar por ditadura.  Eita sujeitinho “brucutu”!

Estamos ” f….os” e mal pagos”, é isso que estamos, com as opções que nos apresentam!   Teríamos que colocar numa peneira, todos os que se habilitassem a nos representar,  só os que sobrasse, sem mácula, é que poderia seguir no páreo. 

Infelizmente não é assim!  Qualquer Zé Ruela, qualquer “palhaço analfabeto”; ex-jogador; ex-piriguete; ex-detento; ex-BBB; Ex-Fazenda e veteranos profissionais na política (políticos profissionais – corruptos contumazes) são eleitos nesse país.  É desse tipo de gente que o povo gosta; é desse tipo de gente que o o povo é fã; são esses tipinhos que o brasileiro coloca no “pedestal” da nação. 

E não adianta tentar mudar a tática colocando totalitários como Bolsonaro, que está no sexto mandato, quase não comparece à Câmara, nada apresenta como projeto e só dá pitaco quando é para tolher direitos da população.  Imagine alguém assim como Presidente?  Será que iria trabalhar ou mandaria o vice?  O que esse Senhor tem de bom é a lábia, vez que já iludiu o povo carioca por seis vezes – fazendo a vida de Deputado uma profissão, como é da natureza de muitos que estão lá!


faculdadelassalle.edu


Para que precisamos de Deputados e Senadores?

Para quem ainda não sabe – explico: Deputados Federais representam a população brasileira; Senadores, os Estados e o Distrito Federal. 

Portanto se o Sr. Eduardo C. Cunha, Deputado Federal pelo PMDB do Rio de Janeiro foi eleito pela população do referido Estado, deveria estar trabalhando em Prol de seu povo e não apenas em prol de si próprio (desfrutando de luxos e viagens com dinheiro público) .  Ele foi um dos mais votados no Estado do Rio, hoje é um dos mais corruptos que tivemos notícia.  Apesar de moralista e se dizer evangélico é o maior mentiroso que a nação já presenciou ocupando um cargo político e ainda por cima a presidência de uma das casas do Poder Legislativo.

É lamentável que os mais mentirosos, mais corruptos sejam também os de melhor lábia!  Eduardo Cunha, depois de enganar o povo conseguindo voto “enganou”, ou talvez somente manipulou seus pares para conseguir ser eleito Presidente da Casa! Hoje faz o que bem entende pois quase todos ali tem o rabo preso a ele.

O Senado por sua vez, tem como Presidente Renan Calheiros, que também é do PMDB (desta feita, Alagoas), e da mesma forma que a maioria dos políticos (independente de partido), não é nada boa bisca.  Já foi processado embora nunca condenado (Veja aqui denúncias). 

Senadores são eleitos pelo princípio majoritário e por um mandato de 8 anos. De quatro em quatro anos são renovados 2 ou 1.  A eleição de um Senador é distinta da do Deputado, além de que o primeiro terá dois Suplentes escolhidos por ele para substituí-lo se necessário.  Já Deputado não escolhe suplente, este vem no pacote do partido ou coligação eleitoral em ordem decrescente de votação para substituir o titular em casos de ausências (doença, morte, desistências,etc) ou longos afastamentos.

Alguma de suas atribuições são iguais a dos Deputados, até porque fazem parte do mesmo poder: fiscalizam o governo juntamente com o TCU; criam e aprovam Leis e MPs; autorizam Estados e Municípios a contraírem empréstimos; Processa, investiga e sabatina AGU, Presidente e Vice da República; PGRs; Ministros, etc.

Assim funciona, ou pelo menos deveria funcionar as mais altas casas legislativas no Brasil.

No entanto funciona por meio de conchavos entre eles e entre o Executivo.  Quando o Judiciário resolve agir, trabalhar de forma legal encontra entraves e se depara com ameaças – tanto dos envolvidos nos casos de corrupção como do próprio povo que elegeu os investigados.

Fazem “quebra-quebra”, como se as empresas privadas ou públicas, que estão no caminho, fossem culpadas de algo e não o político corrupto que está sendo investigado. Se sentem perseguidos e querem transformar esses malfeitores e afanadores de recursos públicos em mártires – enquanto eles estão lá se lixando por todos os pobres idiotas aqui embaixo, que os elegeram e os irão eleger novamente assim que estiverem soltos, assim que cumprirem a pena – exatamente como foi o caso de Collor!

Esse é o povo brasileiro – um povo que hoje atira pedra ou que defende o seu corrupto predileto….,um povo que vai às ruas pedindo o fim da corrupção mas que amanhã se candidata a cargo político ou se aprova em concurso público e faz, exatamente, o mesmo ou ainda pior!

Obs.: uma das regras Deontológicas mais importantes do Código de Ética do Servidor Público Federal (Decreto 1.171/94) é:

VIII - Toda pessoa tem direito à verdade. O servidor não pode omiti-la ou falseá-la, ainda que contrária aos interesses da própria pessoa interessada ou da Administração Pública. Nenhum Estado pode crescer ou estabilizar-se sobre o poder corruptivo do hábito do erro, da opressão ou da mentira, que sempre aniquilam até mesmo a dignidade humana quanto mais a de uma Nação.

Esse é o meu inciso favorito e deveria ser de todo Servidor e Político com ética!

Por Elane F. de Souza (Advogada e Autora deste Blog)


Postar um comentário