4 de dezembro de 2015

Um impeachement até poderia ser bom não fosse ele baseado na Chantagem e no ressentimento!

Muitos devem estar comemorando a “vitória” de um pedido de impeachement que foi baseado, unicamente, no despeito  de alguém que deveria respeitar a Constituição e não usar do cargo que ocupa para barganhar favores – tentando livrar o “rabo” de uma cassação iminente!

É bem provável que Eduardo Cunha dure menos que Dilma depois dessa última que aprontou.  Ele deve estar feliz com a repercussão que teve pois, de momento,  grande parcela da população está comemorando e já fazendo planos para sair às ruas levantando bandeiras favoráveis ao impeachement, que ele votou  pela abertura. 



Eu, se fosse militante nessas manifestações, teria vergonha de sair comemorando essa suja e injusta vitória.   Hoje ele diz que apenas fez cumprir a Constituição, todavia  porque demorou tanto para enxergá-la como documento oficial do Estado Brasileiro?  Porque só agora foi possível isso ser realizado?  Há quanto tempo existem pedidos de impeachement sobre sua mesa e nada dele despachar?

Só os “cegos” não conseguem ver que isso só se deu agora pela impossibilidade da troca com a comissão de ética, formada, também, por três petistas que votaram favoráveis a sua cassação.

Quando viu que a chantagem não mais surtiria êxito DESPACHOU, tornando-se, para os desavisados, um “salvador da pátria”, que nem de longe ele é!
- Sabe como eu enxergo esse Deputado?    Como um Juiz corrupto que julga e condena  um meliante que pratica os mesmos crimes que ele!  

- Sabe como enxergo a população que festeja?  Exatamente como àquela que, supostamente, festejou a soltura de Barrabás e a condenação de Cristo!   Se esse tipo de coisa se passou algum dia é exatamente assim que estão agindo, hoje,  os Brasileiros!

Povo mediocre que não se importa a maneira torta de se fazer as coisas, desde que ela seja feita é o que importa!  Isso me fez lembrar também de uma máxima antiga que envolvia um certo político brasileiro.  “Paulo Malluf rouba mas faz”!  

Foi por isso que ele e vários outros políticos velhacos  fizeram carreira na política.  Praticamente nunca trabalharam; a não ser dentro do Estado Brasileiro como Deputados, Senadores, Governadores, Prefeitos e até Presidentes da República. 

- “Faziam uma linha e roubavam o carretel inteiro” – e o povo seguia votando neles e até hoje segue votando  nos que ainda existem e se propõem a serem votados, ou seja, nos que ainda se candidatam.

Está passando da hora do povo brasileiro também criar vergonha na cara e agir de forma mais ética.  Respeitar o estado brasileiro e não dar “lenha” para político corrupto queimar!  

Do jeito que vejo a felicidade desse povo tenho até a impressão de que se Eduardo Cunha se candidatasse hoje, seria eleito com louvor – essa só seria mais uma prova de que o povo aqui segue sendo retardado e merece os políticos que tem!

Antes como era sua posição em relação ao impeachement?

Em março de 2015, em um artigo da Carta Capital,  ficava clara a posição de Cunha em relação ao impeachement da Presidente.

"Acho que isso é golpe. Ela foi eleita legitimamente, tem um mandato a cumprir. Aqueles que votaram nela e porventura se arrependeram, deveriam ter esse juízo de valor antes de votar, e terão a oportunidade de rever na próxima eleição".
Cunha acredita que “essa não é a forma de atacar o problema” e que essa tese não terá eco na Câmara. “Eu sei separar bem os meus papéis de presidente da Câmara e de vítima de uma abertura de inquérito imotivada, escolhida a dedo e com objetivos políticos”.
Isso só veio a mudar mais tarde, quando o Presidente da Câmara foi denunciado por corrupção, lavagem de dinheiro  e manutenção de contas na Suíça (contas essas que ele sempre negou, todavia tentou impedir a Justiça Suíça de enviar dados delas, DAS CONTAS INEXISTENTES, para que fossem investigadas aqui no Brasil – por isso teve que pagar uma multa na Suíça que girou em torno de 22,3 mil…veja  aqui).
Para mim não há dúvida: “esse é de longe o político mais corrupto, asqueroso,  mentiroso  e manipulador da história brasileira” – quem, hoje, festeja a “vitória” conseguida por ele, por meio desse impeachement, é tão sem noção de ética quanto ele.
PRONTO, FALEI!
Autoria:  Elane F. de Souza (Administradora do Blog, Advogada - OAB/CE)



Postar um comentário