8 de novembro de 2015

Ninguém é de ninguém – desapega!

Foi com a publicidade de um  programa que o Fantástico irá apresentar a partir de hoje que decidi escrever algo acerca da Violência Doméstica. 

É um texto distinto da maioria pois não será direcionado  somente as mulheres, as maiores vítimas de violência doméstica, é também direcionado aos homens (volta e meia eles também sofrem, acreditem!).

O maior gerador de violência (no caso de assassinatos) contra a mulher vem do rechaço.  Ninguém gosta de ser repudiado, rechaçado, especialmente quando esse rechaço vem por motivo de troca de parceiro. 

Quando o homem se vê traído, trocado por outro é aí que ele mostrará sua verdadeira “faceta” ( sua índole). 

No Brasil a violência de gênero está mais arraigada no homem, no entanto ela também pode acometer a mulher.  Li casos de mulheres que cortaram o pênis de seus maridos, outros que a mulher traída até matou o marido, mas o pior mesmo é quando elas partem para a violência contra a amante.  

A amante não tem culpa nenhuma, afinal ela nunca lhe jurou fidelidade diante de um altar.  Culpar a amante (matá-la ou surrá-la e despí-la diante de todos), e poupar o marido, é atitude de mulher trouxa que merece ser traída, afinal, como o título aqui sugere – “NINGUÉM É DE NINGUÉM, DESAPEGA!  

Deixe a fila andar, afinal vocês (o casalzinho) não nasceu grudado, não são gêmeos siameses, ou estou enganada?

Esposa ou marido traído deveria se utilizar de estratégias mais adequadas, menos violentas – no máximo uma humilhadazinha básica, ou constrangedora como fez uma esposa na Carolina do norte (EUA) que publicou um gigantesco  outdoor expondo o infiel e ainda sugerindo que ele fosse viver com a amante.  

Tudo isso ela fez utilizando-se do dinheiro que tinha na conta conjunta; ou seja, gastou o dinheiro dele  e de lavada o deixou de “cara no chão”!  Só as sem noção, ou os sem noção partem para violência física contra os companheiros.  


"Após descobrir uma traição do marido, uma mulher resolveu colocar uma mensagem em um outdoor na cidade de Greensboro, na Carolina do Norte (EUA), para "queimar o filme" do homem. Na mensagem, a esposa traída diz como descobriu a traição e sugere que seu marido mude para a casa da amante". 
“Michael: rastreador GPS: US$ 250, câmera fotográfica com lentes de zoom, US$ 1.600. Pegar meu marido mentiroso e comprar esse painel com nossa conta de investimento, não tem preço. Jennifer”, escreveu a mulher. Logo abaixo, a mensagem: “diga à Jessica que você vai se mudar”.

Faça como fez essa senhora da Carolina do norte – esnobe e ainda o faça com o dinheiro do safado  (a).  Essa sim soube fazer bonito, com categoria!

Feios e “baixos” são àqueles (as) que se vingam dos amantes de forma covarde e violenta como  ocorre na maioria das vezes.  Já vi casos de marido que mata o amante  da mulher,  e de mulher  que mata ou  agride violentamente a amante do marido deixando-as desfiguradas e nuas  no meio de uma  multidão “nojenta”, que só olha, ri, aplaude e filma!  

Essas criminosas merecem levar um chifre a cada momento e mesmo assim nunca irão aprender, sempre colocarão a culpa nas amantes, e seguirão com os maridos como se nada houvesse passado!

Já os maridos traídos agem de forma distinta.  Quando não matam suas esposas e acabam com tudo de uma vez por todas,  matam seus rivais e ponto final – se as esposas quiserem seguir com eles, ELES ACEITAM como se nada houvesse ocorrido, todavia se transformam em verdadeiros controladores.   

A vida conjugal  desses casais não será mais a mesma, a esposa estará em constante vigilância e qualquer  saída que não possa  ser, devidamente, explicada poderá  se tornar  um motivo bastante para violência doméstica.

Sendo assim meus amigos o melhor é desapegar-se!  
Desfrutar da vida ao máximo ao lado de quem está contigo por amor; quando não der  mais para você ou para ele, quando  o melhor for partir para outra  (quando comer  filé mighnon deixar de ter graça) e você gostar mais de “buxada”  tá na hora de desapegar!   Isso vale para ambos pois, ninguém deve obrigar ninguém a seguir uma caminhada ao lado de si! 

Até que a morte nos separe,  já era!

Por Elane F. Souza  Advogada OAB-CE  usando como fonte o trecho  grifado e a foto do site iBahia
Postar um comentário