17 de novembro de 2015

Mariana X Paris: “a generosidade do brasileiro é um misto de cara de pau com falta de vergonha na cara”!

Certa vez li um Blog que falava sobre o "Complexo de Vira latas” que o brasileiro tem frente aos americanos.  Confesso que concordei com muito do que lá, estava escrito.  

Hoje, esse assunto veio a mente me fazendo refletir outra coisa:  "Tragédia em Mariana e terrorismo em Paris"!



Por acaso li uma notícia que falava sobre o aumento "abusivo" do valor do garrafão de água mineral nas regiões que já foram afetadas pela lama da barragem que, quase destruiu Mariana, e nas que serão sucessivamente afetadas por ela.   Aqui já dá para se notar um “pouquinho” do quão humano e solidário pode ser o povo brasileiro!

Acredito que a maioria dos que vierem a ler esse texto haverá de concordar comigo num outro ponto.  Qual seja:  quem nunca ficou sabendo de algum caminhão que tenha tombado cheio de algo que valesse dinheiro?   Aqui pode ser comida; bebida - alcóolica ou não; bens perecíveis e não perecíveis  e toda a sorte de algo que possa valer dinheiro.  O importante é ter algum valor!  Tendo valor é motivo bastante para que o saque aconteça.

Não importa se o motorista e outros passageiros do caminhão ou veículos envolvidos estejam agonizando – “o primeiro é o primeiro”, ou seja, “saquear”! 

- “Se paro para socorrer ou ligar posso ficar sem nada ou só com restolhos” (pensam alguns); quando terminar os “trabalhos”, digo – o saque, aí eu ligo!

E o mesmo se passa quando o acidente envolve apenas pessoas, sem muitos bens que se possa carregar:    
-Vou filmar tudo e postar no face para ganhar “likes” e se sair muito bom posso até vender para o Jornal Nacional – na pior das hipóteses, se filmo alguém todo partido ao meio, o programa “barra pesada”, que gosta de mostrar na tela “sangue escorrendo”, poderá comprar os meus“direitos” sobre o vídeo!

- Ligar que é bom, pedindo socorro, ninguém quer!   Isso só depois das filmagens ou do saque! 

Parar só para ajudar, sem nenhum interesse, tá ficando cada dia mais difícil nesse país – depois vem um e outro desavisado dizendo que brasileiro é um povo bom, generoso e hospitaleiro !  Só se for com Parisiense ou com Americano, com o próprio nacional não é bem isso que se passa não!

Essa coisa das pessoas se aproveitarem das tragédias alheias para arrancar algum extra é o cúmulo da desumanidade todavia comum no Brasil!  



- Imagine  só, querer cobrar valor maior pela água de gente que perdeu tudo, mas agora o que mais necessita é exatamente água?  

Comerciante que aumentar preços de mercadorias durante ou após uma catástrofe, deveria ser boicotado, além de preso por crime contra a economia popular.

Veja por exemplo um trecho da notícia vinculada no notícias.uol em 2013, na época da tragédia do Xerém, no Rio de Janeiro:

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realiza nesta terça-feira (8) uma ação para reprimir crimes contra o consumidor praticados por comerciantes de Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, devastado por uma forte chuva que deixou, na semana passada, mais de 1.200 pessoas fora de casa.
Segundo denúncias de moradores, confirmadas pela polícia, muitos supermercados passaram a cobrar preços abusivos depois da tragédia. Agentes da Decon (Delegacia do Consumidor) percorrem nesta manhã estabelecimentos comerciais identificados pelos denunciantes e já encontraram irregularidades em itens básicos, tais como galões d'água e panos de chão. Em alguns casos, o reajuste ilícito ultrapassa os 100%.
"Antes você comprava um galão d'água por menos do que R$ 7. Tem gente aqui vendendo por R$ 15, R$ 20. É uma covardia", afirmou Mário Henrique dos Santos, morador do bairro Café Torrado.
Uma gerente de um supermercado teria sido autuada em flagrante e conduzida ao distrito policial, segundo informações da "TV Globo". Ao fim da ação, a Polícia Civil deve divulgar um balanço com o resultado da diligência.
Pela legislação atual, os crimes contra a economia popular, como o aumento abusivo de preços, têm pena que varia de dois a seis anos de prisão e/ou multa. Considerando o estado de calamidade pública, a pena pode dobrar.
A outra notícia é recente e vem do G1 Espírito Santo sobre a usura que também pode estar sendo praticada por comerciantes do Espírito Santo, sobre a tragédia de Mariana. Abaixo leia:
Comerciantes que cobrarem preço abusivo pela água mineral poderão ser punidos e presos, de acordo o Ministério Público Estadual (MPES) e Federal. A população dos municípios de Baixo Guandu, Colatina e Linhares, localizados no Norte e Noroeste do Espírito Santo, reclamam que o preço do galão está subindo. Houve denúncias de que em alguns locais o valor cobrado é o dobro do normal.

As cidades citadas serão afetadas com a lama, gerada do rompimento de duas barragens de rejeitos de minério da Samarco, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP.  Assim, o abastecimento de água será interrompido. A tragédia aconteceu no dia 5 de novembro e causou uma enxurrada de lama no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. A lama tem previsão de chegada ao Espírito Santo, nesta terça-feira (17).

Segundo o promotor de justiça Marcelo Volpato, a elevação dos preços é considerada crime e pode gerar a prisão do comerciante. “Cada cidadão vai fiscalizar e denunciar às Polícias Civil e Militar e ao Ministério Público. Na lei é estipulado como pena um preceito de dois a quatro anos de prisão”, explicou.

Além disso, o promotor reforçou que no momento é inadmissível que alguns comerciantes tenham tal postura. “Não é possível e nem aceitável, que nesse momento delicado de muita dor e apreensão, nos municípios de Baixo Guandu, Colatina e Linhares, alguns comerciantes queiram ganhar de forma exorbitante em cima da água”, disse Volpato.

População
A população dos municípios que está sendo afetada com o rompimento das barragens reclama que comerciantes estão aumentando o preço da água. Em alguns casos, o preço dobrou.
A demanda subiu extraordinariamente após ser anunciado que, com a contaminação do rio Doce pelos rejeitos da barragem, o abastecimento de água será paralisado nas cidades.

Na empresa do comerciante de água Eduardo Cunha, em Colatina, são vendido por dia 150 galões de água, mas a demanda atualmente é muito maior que isso e não está conseguindo ser atendida. “De carro e de moto, a gente está saindo mas mesmo assim não estamos conseguindo atender”, disse Cunha.

Cunha também contou que subiu o preço do galão de 20 litros em R$ 1, porque o preço da água na fonte, onde abastece, também subiu. O valor foi então repassado ao consumidor. “Foi antes da tragédia de Minas, eles já haviam mandado uma tabelinha dizendo que o preço iria subir”, disse o comerciante.

Além dele, o comerciante João Azevedo também subiu o preço do produto, só que em R$ 2. A justificativa é de que todos estavam elevando o valor, menos ele. “A água já tinha subido na cidade, mas não tinha subido a minha. Aí a fonte onde eu compro subiu, e eu subi a minha para R$ 10”, disse.

Para o Ministério Público Estadual e Federal, o acréscimo de R$ 1 e R$2 no preço não é abusivo. É considerado abusivo quando o preço dobra o valor, ou passa a ser cobrado acima R$ 20.

A meu ver, se não é crime esse aumento, é no mínimo falta de humanidade e vergonha na cara!  Se disserem que a agua é pouca, que logo irá acabar o fornecimento achando que ameniza o aumento, seguirei dizendo o mesmo – são caras de pau!  Venda do preço que era – quando acabar acabou, o governo se encarregará de fornecer de graça, é obrigação deles!

Ou então sigam o exemplo dos parisienses que, pela falta de metrô e trêm, os taxistas resolveram levar os passageiros de graça.   Aqui cobram mais por bens e serviços – lá eles doam!   Aqui quanto maior a tragédia maior o preço do produto envolvido na tragédia (diretamente proporcional); já, por lá, quanto maior a tragédia, maior o envolvimento emocional  e financeiro deles e do mundo para resolução da tragédia – Aqui falou-se em tragédia, falou-se  em lucro!

Depois não querem que digamos que SOMOS MAIS EUROPA que Brasil – esse povo aqui não é civilizado NÃO!  
E que me desculpem, mas, parece que NUNCA irão aprender A SER!

Complexo de vira-lata  dos EUA não tenho não, mas quando o assunto é Europa, a maioria dos países de lá, aí sim, tenho “complexo de PASTOR ALEMÃO” deles!

Autoria: Elane F. de Souza (Advogada Ceará)


Foto/créditos:  m.folha.uol  e dn.pt






Postar um comentário