30 de setembro de 2015

Piadas que estão perdendo a graça por serem discriminatórias!


Demorou mas, felizmente, a população vem aprendendo a “ser gente”, a respeitar o próximo e suas diferenças. No entanto, ainda existe muita discriminação contra gordos, magros, negros, pessoas com deficiência, contra feios – é, contra feios e até contra bonitos; imagine só – contra bonitos!!!  Nesse último caso até eu gostaria de ser discriminada.  Brincadeiras à parte, o fato é que por ser mais bonita que a amiga, uma adolescente perdeu a vida um dia desses ( leia aqui ).
A verdade é que ainda falta muito para que tudo isso se finde. No entanto já se vê melhoras no comportamento humano (do brasileiro).
Hoje já não se percebe tanto aquelas piadinhas públicas envolvendo pessoas “diferentes”. Todavia, em privado segue existindo, com menos ênfase que antes, mas sim.
Uma das últimas que está sendo considerada como “apologia ao estupro” (violência contra a mulher) vem do marido de Preta Gil (Rodrigo Godoy) que publicou em sua página de rede social uma “piadinha”, considerada por muitos de seus seguidores como sendo criminosa.
— -Oi, gata, comprei umas algemas para a gente transar... - Mas eu não quero transar com voce! - Por isso mesmo...
Esse tipo de piada ainda é comum, não é como as que citei no início. Corriqueiramente gente “sem fama” utiliza-se das redes sociais para fazer graça – conseguir likes; quiçá com a implantação do novo botão no face isso diminua um pouco (dislike), descurtir!   - O do meu computador vai ficar gasto com tanto uso.
Piadas que esto perdendo Graa por serem discriminatrias
Agora, quanto às outras “modalidades” (zuar negros, gordos, pessoas com deficiência, anões etc) está ficando mais raro, a cada dia.
Todavia um e outro acaba colocando o “pé na jaca” e publicando algo que pode acabar com a reputação, ser realmente prejudicado com isso (com boicotes, por exemplo). A revista Glamour, na última segunda (28) publicou algo considerado por eles como motivacional, vejo só um trecho:
"Amiga, o que você tomou para emagrecer? Vergonha na cara", dizia a publicação, que obviamente reforça o esteriótipo de que quem é gordo é preguiçoso, não tem força de vontade, e nem capacidade de tomar "vergonha" para emagrecer.
Logo em seguida, Paula Bastos, Blogueira publicou:
— Pois é, Glamour Brasil, não adianta fazer uma postagem dizendo que só não emagrece quem não tem vergonha na cara e depois querer fazer vários posts em seguida sobre como se valorizar se você é gorda porque vocês já fizeram um estrago grande na autoestima de mulheres que têm dificuldade para emagrecer ou que não se aceitam. A gente não precisa de mais uma revista disseminando gordofobia e discursos de ódio. Tá aqui o meu recadinho pra atitude patética de vocês!
Essas e outras eram comum, vindas inclusive da mídia. Renato Aragão que o diga em seu antigo programa de “sem graceiras”. Fazer o público rir zuando pessoas era o único que ele e os seus sabiam fazer.
Está acabando o tempo que tudo se justifica com "brincadeira". Tem muita gente sofrendo com essa "Ditadura da beleza"!  Devemos ter empatia com essas pessoas. Pedir desculpas é uma atitude digna de quem ainda comete esses tipos de indiscrição – mas o melhor de tudo seria mesmo não precisar.
Fica a dica!
Autoria/Comentários: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B
Foto/Créditos: portalimprensa. Com


Postar um comentário