30 de setembro de 2015

Arábia Saudita: parem de decapitar e crucificar pessoas! (Petição Pública)

Há menos de uma semana publiquei aqui no JusBrasil um artigo/notícia que nomeei de: "Oposição à regime leva jovem a ser condenado à decapitação seguida de crucificação, na Arábia Saudita"; hoje vejo em meu email pessoal uma petição pública que o AVAAZ. Org organiza tentando evitar a decaptação do Jovem opositor do regime atual, Saudita!
Imediatamente dirigi-me a página para assinar a petição, uma vez que a pena de morte sempre teve e terá a minha indignação. Mesmo que o rapaz fosse um criminoso sanguinário ainda o teria pois, a meu ver "Direitos Humanos são para Humanos e Desumanos" - deixe a Justiça fazer justiça, JUSTA!
A pena de morte é desumana e degradante diz a DUDH e a Anistia Internacional luta para por um fim a esse tipo de pena no mundo!

Veja o que diz a Petição da AVAAZ:

A Arábia Saudita está prestes a decapitar um rapaz de 21 anos de idade e crucificá-lo em praça pública. Este mesmo país acaba de ser escolhido para chefiar um painel do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Seria cômico se não fosse trágico!
Arbia Saudita parem de decapitar e crucificar pessoas Petio Pblica
Preso aos 17 anos, Ali Mohammed al-Nimr foi torturado e condenado à prisão por participar de manifestações contra o governo. O caso do jovem, porém, não é uma exceção no país: apenas neste ano, a Arábia Saudita já condenou à morte mais de cem pessoas, o que significa uma execução a cada dois dias.
A França exige que o país suspenda a execução de Ali, e os Estados Unidos, a Alemanha e o Reino Unido também mantêm relações muito próximas com o regime. Portanto, a melhor maneira de fazer alguma coisa pelo jovem é canalizar nossa indignação para os líderes destes países, e fazê-los pressionar os aliados sauditas.Basta assinar agora para ajudar a salvar Ali, que pode ser decaptado a qualquer momento.
A Petição já possui, até este momento 1.140.887... E +... Assine você também!
FonteAVAAZ. Org
Comentários: Elane F. De Souza
Foto/Créditos: AVAAZ. Org


Postar um comentário