18 de setembro de 2015

"Airbnb": o Uber dos hotéis, ou seja, dos imóveis por temporada


Há alguns anos, dois ou três, já não me lembro, decidi que iria alugar, "por temporada", o meu apartamento de praia no Ceará.
Fiz algumas pesquisas na internet para ver qual seria a melhor forma, a mais cômoda e claro, a mais vantajosa. Acabei por encontrar alguns meios até isentos de qualquer taxa, alguns bem visitados por possíveis clientes; todavia o mais interessante que vi foi o "Airbnb", uma espécie de "Uber" de hotéis.
Alguns veem como um simples site de aluguel de apartamentos pelo mundo, outros o tem como um aplicativo (exatamente como o "Uber" - só que de hotéis/casas/apartamentos); o que vem gerando algum tipo de incômodo para os empresários do ramo hoteleiro.
Quanto ao meu apartamento decidi que não iria alugar naquele momento e deixei. Todavia a pesquisa me serviu muito. Conheci uma forma de hospedagem pelo mundo todo de forma mais econômica que a convencional.
Pessoas que viajam muito e não tem recursos grandiosos podem, inclusive, alugar quartos dentro das próprias residências; querendo algo mais privado, todavia mais caro, alugue a casa ou o apartamento inteiro por um certo tempo. Existem excelentes imóveis pelo mundo se utilizando dessa ferramenta, é só dar uma "sapeada" no site deles. (eu chamo de site, portal, se for um aplicativo, me desculpe os entendidos),Airbnb.
O problema é que coisas desse tipo podem incomodar muita gente, no caso os incomodados aqui seriam os hoteleiros. Veja uma notícia interessante, sobre o assunto pública pela Istoé.

"Brasil quer que países do Mercosul taxem 'Uber de hotéis'"

O Brasil vai propor aos países do Mercosul a taxação do Airbnb, serviço online de aluguel temporário de imóveis. A ideia será discutida na próxima reunião especial de turismo do grupo, mês que vem, no Paraguai. A proposta tem como objetivo imediato frear a concorrência considerada desleal com os hotéis para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. A cidade é a que tem maior número de imóveis cadastrados nessa plataforma no País, 20 mil. É a quarta no mundo, atrás de Paris, Nova York e Londres.
Com 45 mil apartamentos, casas e quartos em 22 Estados, o Airbnb vem incomodando o setor hoteleiro desde que chegou ao Brasil, há três anos. “Ninguém quer proibir. O que pleiteamos é a igualdade tributária. O hotel paga água mais cara, IPTU e ISS (Imposto sobre Serviços), e esse tipo de locação, não. Não há uma garantia de segurança para os vizinhos, um contrato formal. Afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Alfredo Lopes.

Interessados em aluguel por temporada click aqui: http://endireitandoasideias.blogspot.com.br/p/aluguel-por-temporada.html  e/ou vide:  https://www.airbnb.com.br  e pesquise por: 

Apartamento na praia do Icarai CE

Fonte: Istoé independente em 18/09/2015 via Estadão e Airbnb
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B (ao copiar, reproduzir ou citar, indique a fonte)
Foto/Créditos: blogdoruivo. Com. Br


Postar um comentário