20 de agosto de 2015

Igrejas de fortaleza-CE serão isentas de alvará, empreendimentos culturais não!

Vereadores de fortaleza aprovaram no dia de ontem (19 agosto 2015) Projeto de Lei Complementar (PL) que dispensa alvará de instalação e funcionamento para templos religiosos de qualquer natureza na capital Cearense.
Foi difícil alcançar um quórum de 22 vereadores, todavia no final de tudo, a aprovação se deu, da forma como queriam as entidades religiosas - empreendimentos para realização de shows, eventos, concertos e manifestações culturais de qualquer outra natureza ficarão condicionadas a prévia autorização e apagamento de taxas para funcionarem.
Apesar de se tratar de alvará ambiental, pois são os decibéis que serão avaliados no momento da autorização de funcionamento, nada sofrerão se ultrapassarem os 60 decibíes, já os outros empreendimentos sofrerão multas e poderão perder o alvará de funcionamento!
Igrejas de fortaleza-CE sero isentas de alvar empreendimentos culturais no
A capital cearense, conhecida por grandes espetáculos - em especial as comédias, deixa de lado a cultura para privilegiar a religião; se para alguns "a fé alimenta a alma", para outros é a cultura e o conhecimento que os fazem crescer de verdade.
Está na hora da política olhar para todos os seguimentos da sociedade de forma isonômica. Seguindo assim, haverá um momento em que alguns indignados abrirão templos de adoração ao demônio, a maconha, a cocaina; templos que permitem sacrifícios humanos e com animais e a política pouco poderá fazer para proibir pois, trata-se de mais uma fé, e isso não se discute não é mesmo?
Igrejas de fortaleza-CE sero isentas de alvar empreendimentos culturais no
Que me perdoem os teístas, mas chegará um tempo em que muita gente se valerá dos templos religiosos, única e exclusivamente, para o cometimento de crimes; muitas já se valem disso – lavagem de dinheiro é um dos principais crimes que se tem conhecimento ( veja aqui – notícias gospel prime). Essa forma de isentar os“templos de qualquer culto” (art. 150, VI da CF) de impostos, alvarás e algumas taxas facilitam ainda mais a criação delas como entidades religiosas e “portanto, respeitáveis”, mesmo que a finalidade seja a de sacrificar animais ou pessoas em oferecimento a um deus ou de Adorar algum “bode” satânico!
Considerem ou não preconceito, essa é a minha forma de pensar – quiserem me processar, a cidade do Recife é o onde deverão impetrá-la!
Autoria/Comentários: Elane F. De Souza OAB-CE 27.30-B
Figura e imagem/crédios: Blogdoparini. Blogspot e diálogospolíticos. Wordpress


Postar um comentário