20 de junho de 2015

Para onde caminha a humanidade?




Publicado por Elane Souza Advocacia & Consultoria Jurídica - 7 meses atrás
“A raça humana é uma experiência que não deu certo”!
Gostaria saber quem foi o primeiro a dizer isso para poder homenageá-lo.
Quem acredita num ser superior, que teria criado o Universo, o homem e tudo que há, essa seria uma frase a ser questionada dia a dia.
Somos seres intolerantes, racistas, preconceituosos; adoramos ver e saber da desgraça alheia; ficamos felizes quando o projeto do vizinho não dá certo e infelizes se prospera. Todavia algo que nos faz bem é dizer o contrário do que pensamos. Mentir é uma “virtude” de muitos e acreditar nelas é um “dom” de grande parte da sociedade. “E assim segue a humanidade”!
Em 19 junho 2015  li uma reportagem no MSN que tinha como título o seguinte:

Ricardo Boechat xinga pastor Silas Malafaia no rádio: "Você é um idiota, tomador de grana de fiel"

Nesta sexta-feira (19), Ricardo Boechat perdeu a cabeça ao ser criticado por Silas Malafaia durante seu programa de rádio na Band News FM.
Bastante alterado, o jornalista disparou: "Ele está pedindo para eu parar de falar asneira num programa de rádio, incitando o ódio. Ô, Malafaia, vai procurar uma r*, não me enche o saco! Você é um idiota, um paspalhão, um otário, um pilantra, tomador de grana de fiel, explorador da fé alheia. Você gosta de palanque, e palanque eu não vou te dar".
Para onde caminha a humanidade
A confusão começou porque o religioso reclamou no Twitter que o profissional, ao noticiar fatos de intolerância religiosa, teria insinuado que os integrantes de igrejas neo-pentecostais estariam constantemente envolvidos nos atos contra outros tipos de fé.
Sobre isso, Boechat garantiu: "Em nenhum momento, em nenhum momento mesmo, eu generalizei que pessoas que frequentam igrejas pentecostais tinham ações de preconceito. Até porque eu não sou idiota como você. Você é homofóbico, você é uma figura execrável, uma figura horrorosa, e que toma dinheiro das pessoas pela fé. Você é rico. Você é um charlatão, cara. Usa o nome de Deus, de Jesus, para tirar grana. Repito: vai procurar uma r*!".
Silas, que compra um horário da programação semanal da Band na TV, voltou, então, a usar o Twitter para se pronunciar, fazendo menção a Johnny Saad, dono da emissora do Morumbi. "Vou perguntar ao meu amigo Johnny, dono da Band, se a política do grupo é caluniar e difamar pessoas. Uma vergonha!".
Em outra reportagem soube de uma menina, adepta ao Candomblé, que retornava para sua casa com a avó no dia 14 passado, após uma “reunião” (não sei como se chama os “cultos” do candombé) teria sido agredida a pedradas por um grupo de pessoas que dizem ser evangélicas (palavras de sua avó a agência BBC).
No domingo (21), adeptos das religiões organizam uma passeata na Vila da Penha, às 10hs, bairro onde a menina e adeptos do candomblé foram atacado. Foi em protesto contra o ocorrido, caracterizado como intolerância religiosa por eles e pela Arquidiocese do Rio de Janeiro que deu apoio a menina e seus familiares (isso foi bonito – devia ser comum uns apoiarem aos outros numa hora como essa, no entanto não é "normal" de se ver uma crença apoiar outra).
Há algum tempo, meu companheiro, que passa “24hs conectado”, me chamou para ver algo no computador dele. Chegando lá me deparo com algo bárbaro! Parece até que não me conhece e que abomino certas coisas – chama justamente para chatear-me, aborrecer-me; essa parece que é uma das formas que ele encontrou de me ver triste (coisa de “sádico”). Felizmente ele tem outras qualidades, por isso sigo a seu lado!
Mas vamos lá dizer o que era a barbaridade que ele queria me mostrar no YouTube.
Uma dezena de pessoas olhava um jovem que teria sido atingido por um progetil de arma de fogo. O segurança, ou o gerente da loja onde ele teria ido assaltar estava armado e reagiu, atingindo-o no pescoço. O menino caiu (não dava para saber se ainda era menor ou não)…, só sei que alguém filmou o jovem caido, jorrando sangue pelo pescoço enquanto, com uma mão, segurava para tentar estancar, com a outra parecia pedir ajuda já que não conseguia pronunciar nada….., enquanto isso as dezenas de pessoas que o rodeavam riam e falavam coisas do tipo: “bem feito, bandido tem que morrer mesmo”…., não consegui ver aquilo até o fim…, fiquei com raiva e logo saí da frente do computador com lágrimas nos olhos! Depois meu marido me contou que ficaram ali até o menino dar o último suspiro sem sequer se mover para pedir ajuda…, pelo contrário, só riam e falavam asneiras vendo um ser humano agonizar até o fim.
Conto essa história porque me marcou muito. Durante dias pensei nisso!
Todos nós já sabemos que é só dar uma “sapeada” no YouTube ou em qualquer parte da internet que encontraremos coisas parecidas…, no YouTube meu marido diz que está cheio dessas, desse tipo que citei (eu já imaginava, só não entro porque tenho pavor e fico traumatizada com os horrores de que o homem é capaz).

Hoje, com os celulares cheios de tecnologia, é o que mais há. Gente que vê tragédia e ao invés de ajudar fica gravando até o fim para enviar as TVs ou postar no YouTube ou nas suas redes sociais para conseguir “likes” ou comentários.
A humanidade é mesmo desprezível. Acaso a existência humana seja como prevê os espíritas eu prefiro não retornar mais – não quero me “aperfeiçoar” retornando para ver o que já vi. Prefiro ficar num “limbo” a espera de algo ou de nada. Passar por tudo isso uma segunda vez será exaustivo por demais!
Esses são apenas alguns exemplos de que a humanidade é algo falido, e que o que nos espera é o caos total!
Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B

Foto/Créditos: MSN e Band
Postar um comentário